AS SANGAS DE UM POETA GENUÍNO

O poeta, mais que a sensibilidade para captar a poesia que permeia a vida, precisa de oportunidades e de incentivos para produzir o poema, síntese de suas percepções.

Genuíno Martins é um operário da poesia, divulgando e participando de eventos em homenagem à arte de compor e de declamar versos. Porém, dedicava todo seu tempo na divulgação de poesias alheias que admirava, musicadas ou ainda por musicar.

Entretanto, solicitado a participar da criação poética, começa a mostrar seu estilo, simples e profundo, em poemas genuínos como esse:

 

                  SANGAS

 

São sangas que correm soltas

entre vargedos e serranias;

às vezes calmas, outras revoltas,

ao sabor de chuvas e ventanias.

 

Cada sanga tem um nome:

Sanga da Mata, Sanga da Areia,

Sanga da Bruxa, Sanga do Lobisomem,

Sanga Encantada, Sanga Feia.

 

Tantas sangas ninguém memoriza.

Tem Sanga Grande, Clara, Bravia,

mas a sanga do Mario e da Elisa,

nunca sei se é Grande, Funda ou Fria.

 

                                         Genuíno Martins

Anúncios

2 comentários sobre “AS SANGAS DE UM POETA GENUÍNO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.