O CANTO DA CORRUÍRA (poemas)

corruira_capa

A trilogia IPOMÉIA-O CANTO DA CORRUÍRA-O HOMEM E O ESPELHO foi construída com textos poéticos escritos entre 1965 e 1976, selecionados por Ederson Mota, pelos critérios de conteúdo e de forma.

Agora (2013), percebo que os poemas de O CANTO DA CORRUÍRA são, em geral, sentimentalistas, românticos, quase beirando à ingenuidade. Paradoxalmente, esse lirismo juvenil foi formatado nos moldes parnasianos (sonetos), que privilegiam a forma rígida, o ritmo e as rimas. Isso parece contraditório, porém, ganha sentido se analisarmos a fase que eu vivia e as influências literárias: um jovem apaixonado pela poesia clássica.

No entanto, continuo assinando cada um deles, porque muitos leitores poderão compartilhar de minha construção poética e, talvez, encontrar semelhanças em suas vivências, sejam elas subjetivas ou alheias.

Ler e baixar o livro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.